Histórico

Os escombros que hoje estão localizados no Cerro da Pólvora, um dos pontos mais altos de Jaguarão, um dia abrigaram o prédio da Enfermaria Militar. Uma imponente obra, construída entre os anos de 1880 e 1883, que servia para atendimento médico dos militares do exército brasileiro.

Após quase um século de ocupação, na década de 1970, o prédio deixou de ser utilizado e acabou, em função do abandono, passando por várias depredações. Pouco tempo depois, no início dos anos 1980, alunos e professores do curso de arquitetura da Universidade Federal de Pelotas desenvolveram o Projeto Jaguar com o intuito de identificar os bens arquitetônicos de Jaguarão. Na década seguinte, em 1990, o local foi tombado pelo Patrimônio Histórico Artístico do Estado do Rio Grande do Sul (IPHAE-RS).

Apesar disso, a construção seguiu em estado de abandono até que, em agosto de  2009, a população de Jaguarão realizou o “Abraço à Enfermaria Militar”, em defesa da contratação de um projeto arquitetônico para o lugar. Com isso, foi levantada a possibilidade de utilização do espaço. Desta maneira, em 2010, através de uma parceria entre a Prefeitura de Jaguarão e a UNIPAMPA, foi possível incluir o projeto arquitetônico de revitalização no PAC Cidades Históricas do Governo Federal.