Depoimentos

Desde  2012 a UNIPAMPA encaminha alunos para um período de mobilidade acadêmica em instituições de ensino superior no exterior  e desde janeiro de 2013 a UNIPAMPA recebe alunos para cursarem um período letivo em seus campi. Confira a opinião dos estudantes.

“Después de haber culminado con éxito mi semestre de movilidad académica en Unipampa, solo tengo palabras de agradecimiento. Gracias por abrirme las puertas y tratarme como otra estudiante de su campus, aprendí demasiado con cada uno de los docentes con los que inscribí las clases, el personal de Unipampa es maravilloso, siempre están procurando hacer sentir bien a sus estudiantes y eso no tiene precio. Gracias por todo, solo resta decir que me enamoré de Brasil y de su gente, de la Universidad Federal Do Pampa, tanto así, que con seguridad yo, volveré”. Luisa Fernanda Villalobos é estudante da Universidad Del Sinú – Elias Bechara Zainúm – UNISINU e durante o período 2018/01 esteve em mobilidade no curso de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda em na Unipampa – Campus São Borja, através do programa BRACOL.

 

 

“Foi uma das experiências mais gratificantes da minha vida, acho que nunca vou me arrepender de ter tomado essa decisão.Por fim, quero agradecer aos meus colegas e professores pelas lindas experiências que tivemos juntos”. Sebasthian Sánchez López, aluno da Universidad Del Sinú – Elias Bechara Zainúm – UNISINU (Colômbia) esteve em mobilidade no curso de Engenharia Elétrica no Campus Alegrete durante 2018/01, através do programa BRACOL .

 

“O intercâmbio na Universidade do Porto foi a experiência mais marcante na minha vida até agora. Como costumamos comparar, pude “voar” em busca da realização de um sonho. Estudei na Faculdade de Ciências da UP e pude cursar disciplinas diferentes daquelas ofertadas na graduação da UNIPAMPA, o que achei muito interessante. Também aprofundei os estudos em outras disciplinas que já havia cursado, com professores que apresentavam outras metodologias de ensino e foram incríveis. Participei de palestras, workshops, visitas guiadas, enfim, foram muitas atividades enriquecedoras. Além disso, nunca esquecerei do conhecimento sobre o mundo e a experiência de vida que adquiri no Porto. Conhecer outras culturas e falar com pessoas de vários lugares do mundo foi incrível.”MARIANE CRISTINA TROMBETTA estudou na Universidade do Porto através do Programa Santander de Bolsas Ibero-Americanas em 2017/01.

 

A estudante KELLY ANDRESSA LIESENFELD, aluna do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental no Campus Caçapava do Sul, foi selecionada  através do Programa Brasil -Colômbia (BRACOL) para um período de mobilidade acadêmica internacional no primeiro semestre de 2017. Ela estudou na Universidade Católica de Pereira .  Assista ao seu depoimento.

 

“Fazer um intercâmbio no México sempre foi um grande objetivo de experiência na minha vida, durante a estadia na cidade de Aguascalientes me surpreendi com o tanto que aprendia todos os dias. O novo jeito de ver o mundo se multiplicava quando todos os 74 intercambistas se reuniam, criando laços para compartilhar todas as distintas culturas em solo mexicano. Além de aprender a me comunicar, entender bem uma nova língua e do aprendizado na sala de aula, tive a oportunidade de vivenciar uma cultura riquíssima e conviver com um povo super receptível em um belo país.” Jady Mondeque de Aguiar estudou na Universidad Autónoma de Aguascalientes no México em 2016/02.

 

“Foi uma experiência maravilhosa estudar na Unipampa, participar de espaços acadêmicos para meu crescimento profissional, é uma universidade de muita qualidade com excelentes professores  e me gustaría voltar para fazer mestrado. Obrigada Unipampa”. Melissa Londoño Cardenas é estudante da Corporacion Universitária Minuto de Dios Seccional Bello (UNIMINUTO), na Colômbia, e estudou no curso de Administração/Campus S. Livramento durante 2015/01.

 

 

 

 

“A oportunidade de estudar na UNIPAMPA foi a melhor experiência da minha vida. Além de aprender um novo idioma, a mescla cultural que o Brasil tem é indescritível. Conheci as melhores pessoas do mundo, amigos que agora posso chamar irmãos (apesar de ficar longe, do outro lado do Equador). Voltei com o coração cheio de bons momentos da universidade, desde a primeira vez que falei na frente da turma toda, até quando esquecia palavras e dizia umas nada a ver hahaha. Quando fiquei lá não senti saudade do México, mas agora, o dia todo, a semana toda sinto saudade do Brasil. Obrigada UNIPAMPA por ter me dado a melhor experiência do mundo.” Carmen Natalia Hernández Becerra é estudante da Universidade Autonoma de Tamaulipas, no México, e estudou no curso de Engenharia Sanitária e Ambiental/Campus Caçapava durante 2015/01.

 

 

 

 

“Quando eu fiquei sabendo que eu viria ao Brasil, eu me alegrei muito porque eu aprenderia outro idioma, mas o melhor desta experiência, graças a Deus, foi compartir com as pessoas que me ajudaram desde o princípio a aprender de mim, também é importante procurar coisas para fazer  no tempo livre, para ter mais contacto com a cultura, estou agradecida com a UNIPAMPA por o apoio durante o intercâmbio, beijos para vocês.” Luisa Fernanda Cely Vargas é estudante da Universidad Santo Tomas Tunja, na Colômbia, e estudou no curso de Relações Internacionais/Campus S. Livramento durante 2015/02.

 

“A oportunidade de realizar 11 meses de intercâmbio na Universidade de Milão proporcionou-me novas perspectivas de vida, conhecimento acadêmico, crescimento pessoal e uma bagagem cultural imensurável. Foi muito gratificante poder acompanhar diariamente a rotina da Faculdade de Medicina Veterinária, bem como vivenciar as diferentes abordagens e métodos diagnósticos que contribuirão grandemente para meu futuro profissional. Além de tudo, ter vivido na Europa possibilitou-me conviver com pessoas de diferentes nacionalidades e idiomas, conhecer a história viva em seus monumentos, ruas e museus e vivenciar seus diferentes costumes, gastronomia e estilo de vida. ” Crisley Dichete Alves estudou na Università Degli Studi Di Milano – Itália em 2014/2015.

 

 

 

 

Depois de passar quase seis meses no Brasil tive a bela oportunidade de compartir com pessoas muito maravilhosas, deixando um lindo caminho mais em minha vida pessoal e profissional pelo qual tenho a certeza que irei voltar (imagina a saudade que tenho?). Eu devo agradecer ao programa de intercâmbio BRACOL juntamente com a Unipampa e a Santoto, pelo apoio de meus projetos, além de meus colegas, professores e amigos brasileiros e uruguaio. Viva o Brasil e a Colômbia. Joan Sebastian Ordoñez Perez é estudante  de Negócios Internacionais na Universidade Santo Tomás, na Colômbia. Foi selecionado no Programa BRACOL (Brasil – Colômbia).

 

“Meu intercambio no Canadá foi uma experiência fantástica de aprendizado e autoconhecimento. Foram 16 meses incríveis onde tive a oportunidade de aprender o idioma, estudar em uma faculdade de altíssimo nível e estagiar em uma excelente companhia binacional (Canadá / Estados Unidos). Mas mais do que isso, tive contato não apenas com povo Norte-Americano, mas também com o mundo todo. O Canadá, sendo um dos países mais multiculturais do mundo, pode me introduzir a uma tremenda variedade de povos e culturas. Tudo o que eu aprendi e vivi nesses últimos 16 meses me transformaram como pessoa. Levarei comigo esse aprendizado por toda minha vida.” Bruno Erbert da Silva estudou em Saint Clair College no Canadá em 2014/2015.

 

“Minha experiência de um ano na Auburn University, no estado do Alabama, Estados Unidos foi extremamente gratificante. Além de poder ter contato com uma universidade de altíssimo nível, tive a oportunidade de conhecer a cultura americana e ainda de praticar e aprimorar meu conhecimento da língua inglesa. Durante o ano que passei em Auburn, estudei dois semestres Animal Science, e após pude realizar três meses de estágio. Todas as experiências que tive certamente serão de fundamental importância para minha vida profissional e também pessoal.” Daniele Martinez Pereira Nogueira – 2014/2015.

 

“Realizar um intercâmbio em Portugal foi a experiência mais linda e enriquecedora da minha vida! Academicamente falando, tive  oportunidade de estudar em uma das melhores universidades do mundo e ter aula com professores renomados! Foi muito bacana conhecer o sistema de ensino português e o que mais gostei foi ter aula sobre a nossa língua e estudar textos que foram escritos antes mesmo de o Brasil ser um país. Além disso foi um aprendizado cultural fantástico, pois em Portugal não apenas se estuda a história, nós a respiramos, vivemos, pisamos por ela o tempo todo. O intercâmbio é um período de (auto)descobertas, mudanças de perspectiva, construção de novos sonhos e fortalecimento de ideais e utopias!” Débora Mattos Marques, Universidade do Porto/Portugal em 2014/2015.

 

“Fiz 11 meses de aulas no departamento de Biologia e Biomedicina da University of Bridgeport, CT. Meus últimos 3 meses foram de estágio no Albert Einstein College of Medicine, NY, onde aprimorei minha pesquisa já realizada no Brasil acerca da modulação da expressão gênica por novos compostos orgânicos de selênio e telúrio. O intercâmbio proporcionado pelo CSF contribuiu para minha formação tanto acadêmica quanto profissional, pois me fez observar que cientistas Brasileiros e Americanos encontram no tamanho dos financiamentos sua única e maior diferença. Criatividade e trabalho duro são as únicas ferramentas necessárias para se fazer ciência em qualquer parte do mundo, daí a importância de direcionar investimentos para a formação de pessoal qualificado, que é o intuíto do do programa, o qual mesmo não sendo executado perfeitamente, tem uma proposta válida para os alunos que sabem aproveitá-la.” Willian Goulart Salgueiro,  University of Bridgeport – 2014/2015.

 

“O intercambio foi uma experiência muito importante tanto academicamente como pessoalmente, pois tive a oportunidade de estudar sobre jogos digitais que é a área que quero seguir depois da graduação. Estive por um ano na universidade de Lincoln, na Inglaterra, uma universidade com um grande número de estudantes de outros países, onde conheci pessoas de vários lugares do mundo e com culturas diferentes. Além das disciplinas ainda tive a oportunidade de participar de um projeto de pesquisa e desenvolvi um jogo utilizando o Kinect.” Cristiano Daitx Ribeiro – University Of Lincoln – Inglaterra 2014.

 

 

“Depois de 16 meses de caminhada, estou quase no fim do intercâmbio na Alemanha. Se tem uma coisa que eu posso dizer sobre esse período, é que, foi um dos melhores da minha vida. Vi coisas que eu nem sequer imaginaria que fosse ver, aprendi coisas que com certeza mudaram minha visão de Mundo. A pluralidade cultural foi enorme, é interessante perceber o que mais o aprendizado de uma Língua traz, é basicamente uma imersão em outro Universo. O conhecimento adquirido numa experiencia acadêmica como essa é imensa. Eu me sinto, tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal, mais preparado pra enfrentar quaisquer que sejam as adversidades que o mercado de trabalho coloque à minha frente. Daqui pra frente é fazer valer, e tornar o futuro promissor.”Samy Stevans Nery Loiola,  Student der Verfahrenstechnik an der Otto-von-Guericke Universität,Magdeburg – Alemanha 2014/2015.

 

“Meu intercâmbio realmente foi maravilhoso, a Ana que saiu do Brasil e que junto com os demais colegas que foram para descobrir a China e estudar mandarim no Edital inédito, se perdeu no meio de tantas escolhas, oportunidades e desafios. Posso dizer que que não
somente a Central China Normal University me proporcionou experiências, mas todas as viagens de estudo e lazer, as pessoas ao redor, a cultura, me fez refletir e ser um profissional melhor, ser uma “Educadora” completa, sendo que sou a única da área da Licenciatura dos editais CSF- China.” Ana Paula de Oliveira Ramos,  acadêmica do Curso de Ciências Exatas em Caçapava do Sul estudou na China em 2013/2014.

 

 

 

“Sem dúvida estudar fora do Brasil foi uma das experiências mais enriquecedoras que eu tive na minha vida. Como o Canadá é um país que reúne vários povos diferentes, pude conhecer pessoas de vários lugares do mundo e ter contato com suas respectivas culturas. Durante os quinze meses que morei lá, tive a oportunidade de estudar inglês e depois de estudar dois semestres de graduação com estágio. Tive oportunidades de participar de atividades e eventos acadêmicos importantes, como também apresentar diversos trabalhos. Enfim, o espaço é pouco para contar tudo, mas gostaria de dizer que quem tiver a oportunidade ir para fora do Brasil não a deixe passar pois é uma experiência para a vida toda.” Filipe Santos Araújo estudou na University of Ontario Institute of Technology (UOIT) no Canadá em 2013/2014.

 

“Foi uma experiência que irei levar para toda minha vida. Fazer um intercâmbio, para mim, é muito mais do que apenas ir estudar no exterior, eu pude ampliar a minha visão de mundo e ganhar mais amadurecimento. Eu viajei com pouco conhecimento na língua do país, no inicio era difícil acreditar que eu estava lá. Estudei inglês intensamente, pouco tempo tinha para descansar. Eu percebia que estava melhorando o meu inglês a cada conversa que tinha com pessoas aleatórias na rua. Conforme eu fui conhecendo o Canadá mais eu concluía que esse país era maravilhoso e que sabia aceitar as mais diversas culturas do mundo sem nenhum preconceito. Fiz um estágio de 4 meses em uma empresa multinacional onde pude ganhar muita experiência do mercado de trabalho. Estudei na University of Alberta, onde tive incríveis aulas na minha área de ciência da computação e também de outras áreas de conhecimento. Enfim, o Ciência Sem Fronteiras me proporcionou experiências marcantes na minha vida, onde aprendi muita coisa nova e ampliou a minha concepção de mundo.”Jorge Daniel Barros Junior estudou no Canadá em 2013/2014.

 

 

“Ter participado do intercâmbio foi para mim uma experiência maravilhosa e desafiadora ao mesmo tempo. Conheci a cultura do lugar e convivi com alunos de diversos países. Morei na Irlanda por 1 ano e 3 meses e posso dizer que foi um período incrível da minha vida. Tive oportunidade de melhorar o idioma através das aulas de inglês e fiz um semestre de graduação na National University of Ireland Maynooth. No período de verão realizei um
estágio de pesquisa na Dublin City University.” Natalie Lourenço Vargas estudou na Irlanda entre 2013 e 2014.

 

 

“Além de ter a chance de conhecer uma nova cultura e aprender uma língua tive contatos com pessoas de vários países com costumes e tradições diferentes. E todos têm algo para
compartilhar e são abertos a aprendizagem. Tive a chance de estudar e fazer pesquisas em diferentes universidades como New York University(NYU), Georgetown University, George Washington University e NOVA College. Durante meu trabalho tive um artigo publicado com um orientador da minha universidade nos EUA em uma revista de alta consideração. Texto disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0254058414005690 ” Rodrigo Martins Alves estudou nos Estados Unidos entre 2013 e 2014.

 

 

 

 

 

 

 

 

“Quando me perguntam como foi o intercambio eu sempre me calo e por alguns instantes eu penso como falar então eu tento resumir com uma palavra e digo maravilhoso .Mas o que eu quero dizer e que o intercambio mudou minha forma de ver o mundo ou melhor me mostro e
le me mostrou possibilidades que eu nem imaginava ter e por causa disso sou grata a todos que me apoiaram durante todo o processo e em especial agradeço a Unipampa que me permitiu participar do CsF.” Tiane do Nascimento Vargas estudou na Detroit MI Wayne State University – USA – 2013/2014.

 

 

“Participar do programa Ciências sem Fronteiras e ir morar na Hungria, foi com certeza uma das decisões mais difíceis, porém mais sábias que já fiz. Conhecer outros lugares, pessoas,

culturas, maneiras de ver a vida, me fez mudar, amadurecer e perceber que a vida está além daquilo que estamos acostumados. Com certeza, foi a melhor experiência que já tive e espero ter a oportunidade de voltar naquele país maravilhoso, o qual me recebeu de braços abertos e foi meu lar por 1 ano.”  Mithiele Ustra Pacheco estudou na  Budapest University of Technology and Economics – Hungria – 2014.

 

 

“Ter tido a possibilidade de estudar em outro  país, para mim, foi incrível! As experiências  aprendidas, os momentos de lazer, os meses estudando uma língua nova, a ansiedade, a adaptação e até o fuso horário (risos) tudo isso foi um grande desafio e uma experiência indescritível, ainda mais indo para um país tão lindo e histórico como a Itália! Lá estudei em Roma na Università degli studi di Roma Tor Vergata durante o período de agosto de 2013 à agosto de 2014. O intercâmbio é uma experiência única na vida de qualquer estudante, é um momento singular, no qual se carrega com carinho para o resto da vida!” Fernanda Maria Muniz de Oliveira.

 

 

“Escolhi os Estados Unidos e lá fiquei por 6 meses cursando Inglês. Foi uma experiência única para mim e esse intercâmbio ajudou muito na minha vida acadêmica e tenho certeza que será válido para minha vida profissional. Conheci outros hábitos, lugares diferentes, pessoas de vários países, religiões, métodos de ensino diferentes e uma universidade altamente qualifica. A minha vida lá mudou totalmente, eram mais cobranças, regras eram regras e tudo tinha que ser seguido ao pé da letra.  Tudo lá é mais rigoroso e por isso funciona tão bem. Após tantas mudanças, medos, saudade, incertezas, eu cresci muito pessoalmente e profissionalmente. Sei que hoje sou capaz de enfrentar muitas coisas que antes do intercâmbio eu não era capaz. O intercâmbio era um dos meus sonhos. Após este, eu sonho mais alto!” Martina Muttoni estudou na University Of Kentucky – USA – 2013

 

“O intercâmbio foi essencial para eu crescer, profissionalmente através do curso e dos projetos desenvolvidos, principalmente através da competição Shell-Eco Marathon Europe

Guilherme Severo Zandomeneghi – Eng. de Energias Renováveis/Campus Bagé – Ciência sem Fronteiras.

a qual participei como designer de sistemas eletrônicos e como piloto do veículo movido a hidrogênio desenvolvido para a competição. Pessoalmente por estar em um país diferente, conhecendo diversas culturas, enfrentrando desafios diariamente  e me redescobrindo a cada dia, a cada nova situação, o intercâmbio mudou minha forma de pensar e ver o mundo. Foi sensacional.” O vídeo da Shell-Eco Marathon, em que Guilherme aparece dentro do carro na abertura da competição (entre 1:10s e 1:24s), pode ser acessado em     https://www.youtube.com/watch?v=edsdW8OThyU&index=13&list=PLEPIVJVCFQH07bRWpOK3p21gItg3lhYX9 .               Guilherme Severo Zandomeneghi estudou na University of Exeter – Reino Unido – 2013/2014.

 

 

“Tive a oportunidade de participar da primeira turma a ir estudar na China pelo Ciências sem Fronteiras, foi um desafio e tanto.  Foram 10 meses de curso de mandarim na

Ikaro Cruz de Andrade – Geologia/Campus Caçapava do Sul – Ciência sem Fronteiras

Huazhong – Central China Normal University. O ensino de fato é excelente, a dedicação dos professores é sobrenatural, e lembrando que lá eles são extremamente respeitados, tratados como nossos pais e devemos obedecê-los. Na verdade, qualquer profissão na China é respeitada, não há desmerecimento com uma profissão mais simples como fazemos aqui no Brasil. Morei com cazaquistão, turcomenistãos, que são países de cultura mulçumana e que fizeram parte da União Soviética, além dos seus idiomas, falam russo também. Foi uma experiência multicultural incrível, onde pude amadurecer muito e aprender a conviver com tantas diferenças e idiomas. O intercâmbio é uma experiência imprescindível a qualquer um que queira ser um ideal profissional.” Ikaro Cruz de Andrade estudou na Central China Normal University – China – 2013/2014.

 

 

“Ter tido a oportunidade de conhecer o Brasil, sua gente, sua cultura e suas muitas coisas boas foi simplesmente a melhor oportunidade da minha vida, foi muito bom aprender um novo idioma e conhecer pessoas nesse pais tao cheio de cultura, não posso descrever em poucas palavras toda coisa boa que aconteceu, só deixo uma mensagem para todos aqueles estudantes que continuam na universidade: aproveitem muito e não tenham medo a viver essa experiencia que tornara suas vidas! tudo é possivel se voces tem fe em que vai acontecer. La vida es aqui y ahora, o demasiado tarde.” Dulce Orália Galván Pérez é estudante da Universidade Autonoma Tamaulipas – México  e esteve em mobilidade acadêmica no Curso de Relações Internacionais –  Campus Sant’Ana do Livramento no período 2012/02.

 

“Estive nos EUA no período de Agosto/2013 até Dezembro/2014. Posso dizer que foi a melhor experiência da minha vida, onde tive contato com pessoas de diversos países e religiões, enfrentei a dificuldade da língua, pois cheguei lá falando pouco o idioma. Aprendi

Bruna Antunes de Oliveira – Eng. Sanitária e Ambiental/ Campus Caçapava do Sul – Ciência sem Fronteiras

o Inglês, que hoje em dia é essencial no mercado de trabalho e também na nossa vida acadêmica. Tive aulas excelentes na Universidade onde estudei, fiz um estágio em outro estado, aprendi muita coisa e levarei para o resto da minha vida. Conheci novos métodos de ensino, como em diversas coisas nos EUA, é bem diferente do Brasil. Resumindo, saí da zona de conforto e fui aprender tudo do zero. Hoje em dia sei que esse intercâmbio me rendeu bons amigos, conheci muitos lugares, aprendi novas culturas, e vi que o mundo é muito grande e que sim, nós podemos conquista-lo.” Bruna Antunes de Oliveira  estudou na Missouri University Of Science And Technology .

 

“Este intercambio ha sido una experiencia incomparable , ya que me ha permitido tener un contacto directo con un idioma y cultura diferente al mio .El intercambio cultural que vivi durante este tiempo me ha dejado ampliar mi vision del mundo , aliento a los estudiantes a vivir esta experiencia que sin duda te cambia la vida”. Edna Montserrat Aguirre Bazalduaé estudante da Universidade Autónoma Tamaulipas – México  e esteve em mobilidade
acadêmica no Curso de Relações Internacionais –  Campus Sant’Ana do Livramento no período 2014/01.

 

“Este intercambio fue para mi una experiencia diferente, fue el sueño que siempre quise realizar, convivir con mis nuevos compañeros en Brasil que ahora se convirtieron en mis amigos, vivir con ellos, y estudiar un nuevo idioma fueron de las cosas positiva que encontre al realizar este intercambo, si tuviera la oportunidad de hacerlo de nuevo no cambiria nada de lo que antes vivi. Gracias Brasil”. America Soto Rios é estudante da Universidade Autónoma Tamaulipas – México  e esteve em mobilidade acadêmica no Curso de Relações Internacionais –  Campus Sant’Ana do Livramento no período 2014/01. 

 

 

 

 

“Fazer um intercâmbio, sem dúvida foi a melhor experiência da minha vida até hoje! Fui bolsista do Programa Ciência sem Fronteiras na cidade de Orléans, França. Essa vivência contribuiu não apenas para meu crescimento profissional, mas também como ser humano. Acredito que amadureci e além do aprendizado do saber-fazer francês e a fluência no idioma, conheci pessoas e lugares incríveis, aprendi novas línguas, hábitos, comidas, costumes e morei com uma família francesa onde a troca cultural foi enriquecedora, me ajudando a abrir a mente e perceber o mundo de uma maneira diferente. Durante esse ano de estudos na Université d’Orleans, trabalhei no Institut de Combustion Aérothermique Réactivité et Environnement (ICARE) com análises de Formação de Fuligem na Combustão de Motores Diesel para o Centre National de la Recherche Scientifique Français (CNRS) em parceria com a Renault S.A. Essa foi uma experiência indescritível, que me proporcionou uma aprendizagem imensurável, uma vez que a bagagem cultural e profissional que absorvi com essa oportunidade estarão presentes em cada fase da minha vida.“Um intercâmbio nunca termina quando voltamos, pois nossa vida vai mudar em decorrência dele”. 

 

“Um intercambio: um ano de aprendizados. Deixar o país em busca da realização de um sonho profissional e pessoal. Primeira lição: A vida realmente é um perde e ganha, não se pode ter tudo, mas se pode escolher em que focar… Despedir-se (da família, dos amigos, dos amores, de si mesma). Partir, partir-se. De um lado: dores, lagrimas, desencontros; do outro: encantos, sorrisos, encontros. Enxergar e ver, e perceber um mundo maior que o seu mundo. Errar errar errar, chorar e acertar, e chorar. Estudar, se estressar e aprender. Crescer.

Jamille Scapin Eichner – Ciências Biológicas/ Campus São Gabriel

Conhecer e vivenciar novas culturas. Julgar e ser julgada, e ver o quanto isso faz mal, machuca. E julgar novamente mesmo sem perceber. Ter preconceitos e se corrigir. Deixar para lá os julgamentos alheios. Se mostrar, inteira, sem meias verdades. E novamente se importar. Achar que esta fazendo tudo errado, se arrepender, querer voltar. E ver que sempre haverão anjos em sua vida, os amigos. Se emocionar e querer viver novamente, viver melhor, viver feliz. E querer fazer algo para que os outros vivam felizes também. AMAR. Valorizar. Repensar. Admirar. Estudar tudo novamente e fracassar. Desistir. Desistir de desistir. Insistir e ver resultados. Novamente crescer. E ser humilde, e ser simples, e ver que sem isso a gente se perde, e perde. Realizar e aguentar. Aguentar a distancia, a saudade, as perdas. E ganhar: ganhar ganhar ganhar! E perceber medos que estavam escondidos, muitos medos e inseguranças. Pensar no futuro e sofrer. Pensar no presente e viver. E realizar sonhos que nem existiam. Fazer festa, pular, dançar, se jogar, comemorar. Se perceber, se conhecer. Conhecer um pouco do mundo e querer conhecer mais e mais. E não querer parar, nunca. Aprender sobre si mesma e se encontrar. Ser vazia e depois ser plena, se preencher e se bastar. E querer sempre ser melhor, SER MELHOR…Saldos de um intercambio. Jamille Scapin Eichner estudou na Universitá Degli Studi Roma Tre – Itália 2013/2014.

 

 

 “A experiência foi muito válida, pois além de conhecer outras culturas, aprendi um novo idioma e tive a oportunidade de expandir meus conhecimentos e rever alguns conceitos na
minha área acadêmica, principalmente quanto as questões de bem-estar animal e saúde pública”. José Francisco Mosqueiro Iop estudou na Università di Pisa – Itália 2013/2014 .
“A experiência do intercâmbio possibilitou-me amadurecimento pessoal e conhecimento. Vivi novas culturas, aprendi uma nova língua e outros hábitos, conheci muitas pessoas e lugares. Trouxe comigo uma nova visão do mundo. Esta vivência através do Programa Ciência sem Fronteiras, na Itália, significou a concretização de um sonho, que tanto almejei, mas que parecia tão distante. A oportunidade de participar do programa trouxe-me a possibilidade de um crescimento ímpar que só tem a agregar ao meu futuro profissional, diante da realidade de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Durante este período de estudos, realizei um estágio nos laboratórios de Enologia e Produtos Cárneos, o qual permitiu maior contato, aprendizado e experiência na minha área de estudo, além do conhecimento das tecnologias italianas empregadas em tais setores. Enfim, foi um ano mágico e enriquecedor que trouxe muitos desafios e descobertas, os quais levarei comigo, em minha bagagem, para toda a vida.” Aline Krummel  estudou na Università di Bologna, Campus Cesena  – Itália – 2013/2014.
“Fazer este intercâmbio foi uma experiência excepcional. Conhecer a maneira como outros estudantes do mundo aprendem, interagir, trocar experiências, aprender uma nova língua e estar sozinho em um país estranho. É muito interessante esta troca, pois proporciona ao aluno um amadurecimento não só acadêmico ou profissional, mas de vida. É muito enriquecedor também conhecer uma nova cultura e entrar na história que aprendemos na escola, visitando lugares maravilhosos. Fui bolsista CAPES – BRAFITEC (Brasil France Ingénieurs Technologie) e terminei meu ano de estudos com um estágio na Société Nationale des Chemins de Fer Français (SNCF) onde pude aprofundar meus conhecimentos na área de Engenharia de Produção, além de conhecer as tecnologias francesas no setor ferroviário. Posso afirmar que amadureci muito desde que deixei minha família e amigos em busca de um sonho e voltarei cheia de histórias para contar de um ano inacreditável.” Gabriela Alves Portella estudou na École des Mines d’Alès em Nîmes – França – 2013/2014.

“Estudar fora do país, conviver com pessoas que tem hábitos diferentes dos seus, aprender uma língua, conhecer novas culturas e ver lugares que fizeram parte de grandes acontecimentos históricos, tudo isso nos da um crescimento pessoal muito grande, e até mesmo um crescimento profissional. Pois, nos dá uma visão de mundo diferente daquela que estamos acostumados a vivenciar em nosso país. Convivendo com profissionais da área que estudamos podemos aprende coisas diferentes do que tem no Brasil e levar isso para o nosso país. Fui bolsista pelo CsF na Itália  e fiz estágio em um centro de pesquisa do governo italiano, tenho certeza que cresci muito como pessoa, todos os dias aprendia coisas novas, e essa experiência que tive indo estudar na Itália foi algo que levarei para toda minha vida.” Steffany Rincon Peters  estudou na Universitat Sapienza Di Roma -Itália – 2013/2014.    

     

“Através do Programa de Bolsas Ibero-Americanas do Santander passei momentos incríveis em solo mexicano. Além do intercâmbio acadêmico, a experiência de imergir em uma cultura diferente e aprender um pouco mais das suas tradições é algo impagável. Estudar temas antigos sob novas perspectivas, conhecer pessoas e aventurar-se no mercado de trabalho (estágio) foram algumas das atividades que realizei durante o intercâmbio, além, é claro, de experimentar a culinária mexicana, uma característica marcante do México e que, com certeza, rederam perguntas como: “Você já experimentou nossa comida? O que você mais gostou?”. Intercâmbios como este promovem um autoconhecimento muito especial, além de lições para toda a vida. Um grande abraço para os meus colegas da UAT”.  Fernando Camara Riegerestudou na Universidade Autónoma de Tamaulipas – México – 2013/02.

“Chegar com uma mala cheia de expectativas num lugar completamente diferente é algo que todo mundo deveria ter a chance de fazer.  Desde o começo da jornada quando entramos em contato com a Universidade de Nottingham e criamos um vínculo no qual a UNIPAMPA foi a intermediadora, até o momento de voltar à realidade no Brasil, enfrentei muitos desafios que muito mais que testar minha persistência e vontade, me fizeram enxergar mais claramente meus objetivos futuros. Se adaptar a uma nova língua, aprender sobre os novos ingredientes na comida, fazer novos amigos (que logo viram sua família), se adaptar a um novo ambiente de estudos, a uma nova casa são tarefas muitas vezes nem tão simples, e que fazem você valorizar cada minuto do dia. A adaptação a uma nova cultura, que não é a sua, mais do que aprender sobre o outro, é aprender mais sobre você mesmo, o que você é, o que você quer. Uma experiência que é difícil relatar em palavras. Um ano para enriquecer a mente e a alma”. Greice Grinke estudou na Universidade de Nottingham – Inglaterra – 2013/02.       
Em 17 de junho de 2014,  durante a competição da Copa do Mundo Fifa – Brasil,  estudantes do Campus Livramento organizaram uma confraternização na Casa do Estudante para assistirem a partida de futebol entre Brasil x México juntamente com as alunas mexicanas provenientes da Universidade Autónoma de Tamaulipas, que estão em mobilidade acadêmica durante este semestre no curso de Relações Internacionais.

 

“Em 2014/01 o Campus Sant”Ana do Livramento recebe as alunas America e Edna, provenientes da Universidade Autónoma de Tamaulipas no México,  para mobilidade acadêmica no curso de Relações Internacionais. Aqui temos o registro da recepção preparada pelos alunos do Campus às novas colegas.

 

“Para mim estudar no exterior sempre foi um sonho e quando obtive a oportunidade tentei aproveitar ao máximo em todos os sentidos. É uma experiência única estar em outro país em meio a uma cultura totalmente diferente da qual você conhece… Aprender com tantas culturas diferentes dia após dia em uma sala de aula, na rua, numa reunião com amigos, estar em meio em um modo de estudo completamente novo e inusitado é uma experiência que dinheiro algum poderia cobrir. Uma Universidade onde todos são diferentes e todos são iguais sem regalias ou critérios diferentes por ser de outro país a não ser curiosidade. Sinceramente desejo aos novos intercambistas que aproveitem ao máximo a cultura de cada país que for estudar, aprendam a ouvir, respeitem os direitos e opiniões e aproveitem com o novo! Roberta Quelli Bairros da Rosa estudou na Universita di La Sapienza di Roma – Itália – 2012/2013.

 

“No intercâmbio aprendemos um novo idioma e convivemos em uma sociedade com hábitos diferentes dos nossos. Temos a oportunidade de ver o que somente vemos nos livros. Durante este tempo nos tornamos mais curiosos, sem medo, aventureiros, não nos importamos com o que os outros dizem, pois ali somos passageiros. Em relação acadêmica, aprendemos a valorizar a nossa universidade, e o que mais vale destacar é a relação professor – estudante. Não podemos deixar de mencionar a relação com a natureza, como nós a vemos e como eles a vêem”. Darlionei Andreis estudou  na Università degli Studi di Padova, Itália – 2012/2013.  

” A experiência no Ciência sem Fronteiras foi de extrema valia tanto para minha vida profissional quanto pessoal. Pude compartilhar conhecimentos com alunos e professores, agregar vivências com pessoas de outros países e voltar com muitas histórias. Além disso, a oportunidade de participar do programa possibilitou a mim um diferencial frente ao mercado de trabalho hoje tão competitivo.” Natália Picoli Folchini estudou na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal, 2012/2013.

 

 

 

 

 

 

 

 

“O intercâmbio na Universidade do País Vasco foi a experiência mais marcante academicamente e também de vida pois tive a oportunidade de aprender novas tecnologias, ver como o mundo funciona e além disso uma experiência cultural muito forte, pois tive a oportunidade de conviver com estudantes do mundo inteiro, estudantes de excelência de seus respectivos países. Além de tudo isso realizei estágio de 3 meses numa multinacional, Michellin industria de Pneus. Enfim, o conhecimento adquirido é imensurável, e minha carreira

profissional tornou-se mais promissor”. Dyego Martins Costa estudou na Universidade País Vasco, Vitoria-Gateiz – Espanha/2012.

 

 

O intercâmbio ao México me proporcionou um grande crescimento acadêmico e pessoal. O contato com uma universidade estrangeira e com uma outra cultura enriquece muito o nosso poder de análise. Conhecer diferentes visões e estruturas acadêmicas será de extrema importância para quando entrar no mercado de trabalho tão competitivo, já que ter experiência no exterior é muito bem visto na decisão de contratação”.  Beatriz Naddi   estudou na Universidade de Guadalajara – México/2012.

 

 

 

“A oportunidade de estudar no México, não só me trouxe uma nova experiência de vida, novos conhecimentos e uma mente mais aberta para o mundo, como também me oportunizou ampliar minha área de conhecimentos e estudos nas Relações Internacionais. Estudar em uma instituição de ensino no exterior me proporcionou a análise do meu país com outros olhos, olhos de quem vê por fora, e a identificação de pontos de vista externos sobre diversos assuntos: acadêmicos e outros. Foi uma experiência magnífica e relata-lá por completo em poucas palavras me parece impossível. Voltei com uma bagagem cheia de informações novas, conhecimentos adquiridos na prática e histórias boas para contar. ” Maiara Dalé  estudou na Universidade Autônoma Tamaulipas – México/2012.

 

“Poder conhecer uma realidade alheia e distinta da nossa nos permite analisar e rever
alguns conceitos até então menosprezados ou indiferentes ao nosso dia-dia. Foi de extrema importância poder fazer parte de um grupo de intercâmbio. Passei por situações difíceis que exigiram paciência e tranquilidade ao tempo que pude viver coisas maravilhosas, conhecer pessoas incríveis que fizeram da minha estadia melhor e pude aperfeiçoar meu

Congreso AMEI – Asociación Mexicana de Estudios Internacionales, Puebla – México. Luiz y alumnos de la Universidad Autónoma de Tamaulipas, Ciudad Victoria – México.

conhecimento em áreas do meu interesse. Conhecer um novo idioma e poder dizer que fui um dos poucos selecionados para esta empreitada me enchem de orgulho e me fazem acreditar que valeu cada momento de sacrifício desde todo o início do processo”. Luiz Valdemir Ribas  Da Cruz  estudou na Universidade Autônoma Tamaulipas- México/2012.